QUINTILHAS

 

 

Verdade

 

A verdade permanece,

Mesmo quando falece

E se esquece

O pioneiro anterior

Veículo transmissor.

 

 

Trabalho

 

Porque é que tu te comparas,

Se o trabalho de ser tu

Melhor que tu, se reparas,

Ninguém há, nas anteparas,

Para o fazer sem tabu?

 

 

Desapego

 

Desapego material

É o que a velhice me impõe,

A bem ou a mal:

A doença dá sinal,

De vez a morte o supõe.

 

 

Ordem

 

O Universo joeira

A ordem inteira

Que põe de pé:

Tudo aquilo que é

Não podia ser doutra maneira.

 

 

Medir

 

Medir a sabedoria

É medir o sofrimento

Que alguém estraçalharia

E a paz com que ele vivia,

Ao invés, aquele evento.

 

 

Força

 

Ganha

Um pensamento com fé

Força tamanha

Que pode do sopé

Remover uma montanha.

 

 

Nunca

 

Um amor, quando o inauguro,

É, sem retribuição, só dom.

Como não implica recepção,

O amor puro

Nunca sofre desilusão.

 

 

Aviação

 

Enquanto andamos no ar,

Não há problema,

O problema é aterrar.

É da aviação o tema

E é da vida o lema.

 

 

Homem

 

O homem estava deitado.

De repente, levantou-se e pôs-se a andar.

Nunca mais ficou parado,

Vai chegar a todo o lado:

O que é preciso é acreditar.

 

 

Devastadoras

 

As devastadoras lutas

Vividas entre o casal

São desilusões, disputas

Resolvidas sempre mal

Desde a infância em que as escutas.

 

 

Revelo-me

 

Revelo-me honestamente

Integral tal como sou

Ou vivo no medo assente

De que outrem descubra, à lente,

O vero eu que se ocultou?

 

 

Livre

 

É mesmo tudo melhor

Que viver aqui sozinho?!

Livre e só tem mais valor

Que acompanhado a supor

Que livre andarei maninho.

 

 

Oiro

 

O casamento te alegra?

O casamento deprime?

- Estas questões dão-te a regra

Do que é que o sublime integra

E o que, traindo, não rime.

 

 

Faustoso

 

Quão mais faustoso é o evento,

Mais há lá para esconder:

De verdade o casamento

É no imo o acontecimento,

- Ninguém dá por ele ser.

 

 

Conflitos

 

Os conflitos de ego a ego,

A vontade de exercer

Sobre o cônjuge poder,

Só geram desassossego,

Tudo levam a perder.

 

 

Bom

 

Quando você ou seu par

Não vêem um mal conexo

Por amigos cultivar

Que são também do outro sexo,

Que bom será vosso lar!

 

 

Enfrenta

 

O casal que está desperto

Para a própria diferença

O conflito enfrenta aberto,

Sem mais se ferir, decerto,

E da saída acha a avença.

 

 

Entravar

 

Sem meu medo de perder,

De ser rejeitado um dia

Que será que então faria?

Sem entravar meu viver

Quem será que então seria?

 

 

Alicerce

 

O que importa ao bem-estar

De cada qual no casal

É o factor essencial

Para o matrimonial

Alicerce reforçar.

 

 

Obsessões

 

As obsessões pessoais

Criarão sempre barreiras

À intimidade: os totais

Baixam tanto quanto mais

Do dogma trepam as jeiras.